Estilo de vida

Cirurgia de joanete: quando fazer, recuperação e riscos

Por mais simples que seja uma intervenção cirúrgica, ela sempre está passível de riscos. Afinal de contas, nenhum método é 100% seguro, ainda que rara são as vezes que ocorre algum tipo de complicação. Por isso, é comum que algumas pessoas se sintam receosas em relação à cirurgia de joanete.

No entanto, a fim de que você se sinta mais seguro em relação a cirurgia, é importante obter clareza a respeito de todas as suas dúvidas. Será mesmo que a cirurgia é sempre necessária? Ou, ainda, quais são os riscos e como é a operação?

Essas são as principais dúvidas a respeito desse assunto e, no decorrer desse artigo, iremos responder todas essas questões. Então, sem mais delongas, vamos ao que realmente importa! Confira.

Cirurgia de joanete

Em suma, esse tipo de tratamento tem por intuito corrigir de forma definitiva a deformidade ocasionada pelo hallux valgus, que nada mais é do que o nome científico do joanete. Ou seja, visa aliviar o desconforto que o paciente sente.

No entanto, é válido salientar que a cirurgia não é sempre a mesma. Na verdade, varia de acordo com a idade da pessoa e o tipo de deformação que o joanete causou, por exemplo.

Mas, na grande maioria dos casos, o que acontece é um corte no osso do dedão, o qual visa colocar o dedo no local certo. Essa nova posição do dedo deve ser fixada por intermédio de um parafuso interno, mas há casos em que é necessário aplicar uma prótese.

Fora isso, outra coisa que se deve saber é que a cirurgia de joanete é um tanto simples, mas que deve ser feita no consultório do ortopedista, sob anestesia local. Inclusive, depois do procedimento, o paciente pode voltar para casa algumas horas depois.

Quando fazer a cirurgia de joanete?

O médico deve requisitar a cirurgia de joanete apenas nos casos em que todos os demais tratamentos não foram capazes de aliviar o desconforto que o paciente anda sentindo. Fora isso, a cirurgia é ideal para eliminar o desconforto ocasionado pela alteração no dedão do pé.

Fora isso, é válido salientar que, na grande maioria das vezes, a cirurgia de joanete é uma opção para quando o paciente sente uma dor muito intensa, a qual não passa com nenhum outro tipo de tratamento. Porém, indica-se a cirurgia também nas seguintes situações:

  • Quando há inchaço crônico no dedão;
  • Quando há deformação dos outros dedos do pé;
  • No caso de o paciente sentir dificuldade para caminhar;
  • Dificuldade para dobrar ou esticar o dedão, por exemplo.

Ou seja, como deu para notar, trata-se de uma cirurgia que visa diminuir os sintomas de dor e melhorar a qualidade de vida de cada paciente. Isso quer dizer que, no caso de uma pessoa querer passar pela cirurgia apenas por questões estéticas, não é o mais recomendado.

Afinal de contas, há pessoas que têm joanete mas que não sofrem qualquer sintoma. Nesse caso, se o paciente passar pela cirurgia, há elevado risco de surgir uma dor persistente depois do procedimento.

Por isso, no caso de o paciente apenas ter joanete, mas sem sentir qualquer sintoma, ele deve procurar tratar de outras maneiras, como utilizar palmilhas ortopédicas ou fazer alguns exercícios.

Como é a recuperação da cirurgia?

Na verdade, o período de recuperação vai variar de acordo com o tipo de cirurgia que você terá de passar, bem como a qualidade do osso e do seu estado de saúde geral.

No caso de você ter passado pela cirurgia percutânea, a grande parte dos pacientes conseguem colocar o pé no chão com auxílio de um sapato especial, conhecido por “sandália augusta”. Afinal de contas, nesse caso, já há um alívio sobre o local que foi operado.

Agora, em outras ocasiões, pode acontecer de a recuperação demorar até 6 semanas. Fora isso, deve-se tomar muito cuidado em relação ao peso em cima do pé. E é por esse motivo que o ideal é manter os pés elevados nos primeiros 7 a 10.

Fora isso, o médico ainda pode indicar a aplicação de compressas geladas, a fim de reduzir a dor e o inchaço. Ao tomar banho, a indicação é colocar um saco de plástico, a fim de proteger o pé da água, para evitar que as ligaduras se molhem.

Além disso tudo, o ortopedista ainda deve prescrever alguns remédios analgésicos, para reduzir as dores do pós-operatório. Porém, é possível minimizar as dores com fisioterapia, motivo pelo qual deve ser feita pelo menos 2 vezes por semana.

Enquanto se recupera, você deve voltar de forma gradual às suas atividades diárias, mas sempre se manter atento em relação aos sinais de complicação, como:

  • Febre;
  • Inchaço em excesso;
  • Dor forte no local da cirurgia.

Caso tenha um ou mais desses sintomas, o ideal é recorrer ao seu ortopedista para que ele possa examinar o seu caso.

Possíveis riscos da cirurgia

No geral, a cirurgia de joanete é bem segura. Mas, como qualquer uma outra, há alguns riscos. Dentre eles, podemos citar os seguintes:

  • Sangramentos;
  • Infecções no local;
  • Lesões nos nervos.

Ademais, ainda que a joanete não volte, há casos em que pode surgir dor constante no dedo ou rigidez, por exemplo. Nesse caso, deve-se apostar na fisioterapia.

Veja outros conteúdo e dicas

Qual a sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Mais ou menos
0
Empolgado
0

Você pode gostar

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.